Press "Enter" to skip to content

Sondagem #7: Como contrata serviços de limpeza – com factura ou sem factura?

Carlos Magalhães

Como contrata serviços de Limpeza: com factura ou sem factura?

Na sequência de um inquérito efectuado pela Wegho concluiu-se, num universo de cerca de 1500 respostas, que 56% das famílias portuguesas continua a comprar serviços domésticos de forma ilícita no mercado informal, destacando-se a “mulher a dias” e o “biscateiro”.

Se admitirmos, por exemplo, que existe um milhão de portugueses a comprar este tipo de serviços e que a compra média neste tipo de serviço, rondará em média os 100€/mês, estamos a falar de 200 milhões de euros não tributados em sede de IVA, por exemplo. No caso do IVA, estamos a falar de 23%* 200 Milhões de € = 46 Milhões de € que, neste simples exercício, estariam a fugir aos cofres do estado, a todos nós, no final do dia. A conta aumenta mais se estendermos a análise ao IRC e até ao IRS.

Enquanto isso, existem empresas a operar na prestação de serviços profissionais de manutenção e reparação e limpeza doméstica, entre outros, que são atacadas por esta economia informal, numa concorrência totalmente desleal, obrigando a um esforço de política de preços difícil de manter para a continuidade dessas empresas e dos postos de trabalho que criam honestamente.

O tema do momento é o aumento do salário mínimo. Faz sentido aumentar salário mínimo numa economia com este peso de economia informal?

Que medidas estão em cima da mesa para combater a economia informal? O aumento do salário mínimo sem medidas eficazes a este nível, conduzirá a aumentos de preços no tipo de serviços em análise e isto será um incentivo a mais compras no mercado paralelo e, logo, a mais postos de trabalhos ilegais, mais desemprego por força da falta de competitividade de quem opera de forma legal e tem que desistir e a uma fatia cada vez maior da economia que fica por tributar.

Neste ciclo positivo é hora de ajudar a mudar o rótulo que os povos latinos têm no campo da economia informal.

Não só os políticos devem intervir. Isto começa dentro das nossas casas, onde devemos comprar serviços sempre de forma legal, exigindo fatura e garantindo que quem presta o serviço tem o seguro de acidentes de trabalho que a lei exige, algo obrigatório de garantir para qualquer empresa.

Hora de mudar.

Comments are closed.